Páginas

Dialogando.


Ele Você se arrepende de alguma coisa que tenha feito?



Eu Não!  Eu não me arrependo de nada que eu já fiz, porque no final das contas tudo o que fiz define exatamente quem sou.



Ele(...) Mas não há nada a seu respeito que tenha vergonha?



 EuSim há, mas é preciso aceitar-se, da maneira que se é, porque a vida passa por cima de quem não se aceita.


Ele Você é sempre tão segura?



EuNem sempre.  Ás vezes quando durmo Sou insegura.



Ele Defina-se em uma palavra.



EuCapacitada.

Pedras.







Quando se olha no espelho, conte-me o que vê? E as pedras que trás na mão, dê que lhe servem se não as vai atirar? E quando chora pode me dizer por que chora? E a dor, essa dor que não vai embora, essa dor irremediável, dor com gosto de amor, que nada cura que nada mata, e essa doce amargura? Olhos seus de menina! E a verdade, verdade que a tortura, verdade que sempre mata, por mais pura que seja.                  O que fazes aí sentada vendo seu amor partir? O que fazes aí parada vendo sua vida esvair? O que fazes e porque fazes? O que dói, o que te destrói? Pode responder, porque a partir de hoje não vivo sem respostas. Quando suas lagrimas caem qual é a sensação? Porque age tão friamente? Porque esconde o medo? E o sorriso porque o guarda tão longe? Aonde quer ir, aonde quer chegar?                       Quando me olho no espelho, vejo alguém com marcas inesquecíveis, maturidade o suficiente, conhecimento em constante formação. As pedras que trago na mão é só uma questão de defesa, não quero cair de novo, e levantar sem armas para batalha, servem-me para que eu possa apenas assustar o inimigo, e quando choro é só para colocar o mal que me consome para fora, a dor é só um estado da mente, ela é medicável, a amargura é porque o mel doce mel de menina já não habita mais no corpo de mulher.             Deixando que o amor vá embora sem que me machuque sem que me maltrate sem que me leve junto a seu lado. Minha vida esta aqui ainda, eu posso viver tão feliz quanto você. O que faço, faço com vontade agora o que faço isso depende de minha vontade.  Nada mais me dói tanto, nada me destrói. A sensação é quente é triste, é a única coisa da qual eu não posso fugir, não ajo fria apenas reajo com medo de mim, o medo é tão visível que sabe que sinto tanto. Ele não sente vontade de ser visto. Aonde quero chegar não sei por isso tanto faz onde estou vou para qualquer lugar.

Já não pode ir.







Você diz que ama a chuva, mas você abre seu guarda-chuva quando chove. Você diz que ama o sol, mas você procura um ponto de sombra quando o sol brilha. Você diz que ama o vento, mas você fecha as janelas quando o vento sopra. É por isso que eu tenho medo. Você também diz que me ama. (William Shakespeare)
 
 Um pedaço de você ficou apagado quando você desistiu de fazer algo, um pedaço da gente se perdeu na chuva, um pedaço ficou quando desistimos de nossos sonhos, quando fazia o que não suportava, Um pedaço seu ficou perdido por aí quando viu a vida passar, quando foi pisado, permaneceu calado quando deveria falar. Acredite um pedaço de você quer tudo, e o outro apenas se esconder. Um pedaço seu não sabe se fica, e o outro não sabe dizer não. Um pedaço de você morre, sempre que sente vontade de chorar e mantêm-se
calado quando tem vontade de gritar, e permanece inato. Um pedaço seu deixou de existir para cada vez que você não viveu.
         Aprenda não tão duramente quanto eu, que a vida desacata quem não se aceita, humilha quem não se valoriza, ensina com dor, mas também ensina com amor. Aprenda que a simples ação de falar pode aliviar dores, e que pessoas importantes demais são tiradas depressa de você, aprenda que não devemos apenas nos comparar com os outros, mas sim sermos o melhor que poderíamos ser... Aprenda que ser flexível não significa ser frágil, e/ou delicado, não importa aonde vai, mas sim aonde se quer chegar. Aprenda que quando se está com raiva não temos o direito de ser cruel. Aprende que quem julga um dia pode ser condenado com a tamanha severidade que julgou.  Aprenda que a vida é muito importante e que o tempo é muito curto, que quando se parte em pedaços a vida não Pará para que você os conserte. Aprenda que você pode suportar, Aprenda que a vida tem valor incalculável, e você também tem valor diante dela.
Não importa mais quantas vezes me empurrem, nem quantas vezes eu fecho os olhos para continuar andando, nada será como costumava ser. Não importa quantas vezes minha realidade mude meus sonhos não irão mudar, e a realidade nunca deixará de ser morta. Não importa tudo o que me fazia bem, já não me faz bem. Não me faz feliz, não importa quantas vezes disse que ia esquecer que ia mudar que ia viver que não ia amar nada me faz curar da obsessão pelo amor. Não importa quantas vezes eu queira estar acompanhada, sempre estou sozinha. Não importa as incontáveis juras de amor, você não me amou quando me jogou fora. Não importa quantas vezes você se despeça de mim, eu nunca o deixarei partir para sempre.
 
Só peço que deixe a chuva nos molhar, que deixe o sol te banhar, que deixe o vento soprar em nós mais amor, que não me deixe sentir medo desse amor. 
 
 
[Por aí, pensando... Eu não estou apaixonada.]

Fugir,



-Já cogitou?
Preparou as malas, mas voltou!
-Vamos fugir, para longe bem distante, onde não faça chuva nem sol. Onde tudo vive ameno. Não há noite não há dia. Não há felicidade não há guerra, não há perdas, e nem competidores. Onde o nada não existe, porque o nada é o nosso lugar.
- Vamos, vamos comigo para lá? Para longe é o melhor lugar. Longe do amor, da paz, do incorreto onde tudo que se faz apenas se faz. Onde a morte não tem vez, onde nada reina. Onde não há esperança, não há vingança. VEM?
 - Vamos para o escuro, o vácuo o nulo. Vamos para lá. Não seremos felizes, mas não sentiremos absolutamente nada.
- VAMOS DEIXAR DE VIVER.

Querer!



Bom mesmo seria não lembrar, não me lembrar de nada, nada que me fizesse mal, que me fizesse sofrer, mas agora é tarde lembrei-me de tudo, de mim, de você. De nós. Você me faz ainda sim chorar ainda sim, sofrer.
Queria que tudo fosse bom, que nada me desse medo, queria ser heroína, na droga injetada nas veias, e nos músculos de ferro que também salvam pessoas. Ser de ferro também, para não ser magoada, humilhada, maltratada nunca.
 E aí é que vem a questão, engraçadinha até, alguém de ferro sofre?  Alguém de ferro não sofre mesmo? Não chora? Não grita, não fala mal? Não sorri? Porque se for assim, eu quero ser humilhada, maltratada e magoada também. Quero sentir cada sensação, e no fim da noite, quando todos dormem, ouvir meu coração palpitar.
Bom mesmo seria ser robotizada, programada, para não sentir, vontades das quais eu não posso fugir, para não sentir palavras ferindo, para não ouvir a saudade gritando. Para correr sempre que visse um problema aproximando-se, para esconder-me nos lugares mais improváveis possível.
Às vezes penso em fazer com que o tempo pare, com que meu coração não bata, com que a saudade, não me faça voltar no tempo, com que o tempo não exista com que o vácuo persista, que esse espaço entre a gente não resista.
Queria tanto mudar, fazer meu coração te aceitar, agir com a razão, não ir embora. Como queria, mas agora é tarde, somos apenas bons amigos.
Queria mesmo, e seria maravilhoso, não desejar nada, e encarar e me contentar com nada. Queria ser feliz, sem precisar. Queria nada querer, tão bem perto de mim. QUERER NÃO É PODER. Não agora!

O que é?




Bom aluninhas, queridas.
Respondendo a pergunta, Sado-masoquista & Masoquistas.
Respectivamente, são pessoas que gostam e sentem prazer fazendo com que outras pessoas sofram, e sentem prazer com o sofrimento.
Não há melhores explicações.

Capacitada


.

Eu nasci com o poder das lágrimas que não podem cair, e dói tanto deixá-las presas.
Eu nasci com o poder de não conseguir mentir, e dó tanto magoar com a verdade.
Eu nasci com o poder de sofrer calada, e dói tanto não compartilhar.
Eu nasci com o poder de levantar depois da queda mais dura, e dói tanto levantar.
Eu nasci com o poder de ser autentica, e dói tanto ser tão criticada.
Eu nasci com os dons mais lindos, e dói tanto não saber usá-los.
Eu nasci com o medo de errar, e dói tanto quando tenho medo.
Dói ser capacitada, com tudo e nada. 

Política




– Pai, eu preciso fazer um trabalho para a escola,
posso te fazer uma pergunta?

 Claro meu filho. Qual é a pergunta?

O que é Política, pai?

– Bem, vou usar a nossa casa como exemplo. Sou eu quem
traz dinheiro para casa, então sou o "Capitalismo".
Sua mãe administra (gasta!) o dinheiro, então ela é
o "Governo". Como nós cuidamos das suas
necessidades, então você é o "Povo". A empregada é
a "Classe trabalhadora", e seu irmão nenê é "O
Futuro". “Entendeu meu filho”?

– Mais ou menos, pai. Vou pensar...

– Naquela noite, acordado pelo choro do irmão nenê, o
menino foi ver o que tinha de errado. Descobriu que
o nenê tinha sujado a fralda e estava todo
emporcalhado. Foi ao quarto dos pais e a sua mãe
estava num sono muito pesado. Então, foi ao quarto da
empregada e viu, através da fechadura, o pai na cama
com a empregada. Como os dois nem percebiam as
batidas que o menino dava na porta, ele voltou pro
quarto e dormiu.

Na manhã seguinte, na hora do café, ele falou pro pai:

– Pai, agora acho que entendi o que é Política!

– Ótimo filho! Então me explica nas suas palavras...

– Bom, pai, enquanto o Capitalismo fode a Classe
Trabalhadora, o Governo dorme profundamente. O povo
é totalmente ignorado e o Futuro está todo cagado!

(Ps: Só pra divertir.)

Leitores




Fiéis.

Após parir tantas idéias, acredito estar passando por uma época de vacas magras, na qual a melhor droga se tornou deplorável em qualquer sentido. E até mesmo insustentável, O blog passará por mudanças, para melhor ou para pior, depende do ponto de vista de cada leitor. A leitura antes vista como um hobby, hoje nem passa-tempo. A escrita antes tida como o maior dos devaneios, hoje nem sonhos conseguem fazer-me ter. Ou seja, toda a aptidão, foi embora. Mas tudo que sobe, um dia desce, e hoje oficialmente, após tantos textos fracassados, a vida regressa em seu DEVÍDO rumo, e volto a ser a própria inspiração.
Leitores, eu não escrevo mais, agora quem dita às regras é apenas, o coração e a razão. Posso dizer que a vida vai tratar de orientar o blog, e dizer o certo e errado. Aqui experiências de alguém.
Obrigada.