Páginas

Quando você não esta aqui.



Eram pilhas de corpos humanos, jogados, amontoados, como se não fossem nada.
De hora em hora alguém voltava e jogava mais um. Eles submergiam no riacho e como parecendo precisar respirar, voltavam à superfície, na sede de estar vivos. Há quanto tempo só observo, sem sentir. Eram mulheres, homens, crianças e lá estava o amor que eu sentia, o meu único amor, bateu no fundo do riacho submergiu, os olhos ainda estavam abertos e seu olhar eu guardei, agora era levado pela correnteza.
Gritos ecoando, diga-me o que quer ouvir, algo que agrade. Nada esta bem.
Agora corra, corra para longe, há sangue banhando todo o lugar.
Não sinto nada, absolutamente nada, é possível correr contra o tempo, ser feliz ao seu lado só mais um pouquinho? Algumas coisas não são justas, volte para casa, fique só mais um pouco aqui. Abandone tudo o que você acredita confie em mim, prometo não te deixar, corra contra o tempo, não deixe a correnteza te levar.
Prometo vou estar aqui. Não se deixe desaparecer, confie em mim!